Grupo Residência e autoridades participam da abertura oficial do Festival de Inverno 2017


Abertura oficial do Festival de Inverno Ouro Preto e Mariana | Fórum das Artes 2017 ocorreu em solenidade no Centro das Artes e Convenções da Universidade Federal de Ouro Preto |UFOP, no sábado (8/7).  O evento contou com a presença do Secretário de Cultura de Minas Gerais, Angelo Oswaldo; do prefeito de Ouro Preto, Júlio Pimenta; secretário de Cultura, Turismo e Patrimônio de Mariana, Efraim Rocha; da reitora da UFOP, Cláudia Marliére; representante da Secretaria de Ensino Superior do Ministério de Educação | MEC, Mauro Rabelo e o pró-reitor de extensão, Marcos Knupp.

O Grupo Residência entrou no local entoando a clássica batida do clube do Zé Pereira dos Lacaios, que completa 150 anos em 2017, sendo o grande homenageado neste Festival de Inverno.

O prefeito de Ouro Preto, Júlio Pimenta, e o secretário de Cultura, Turismo e Patrimônio de Mariana, Efraim Rocha, destacaram a importância do evento e da aproximação das cidades, que buscam fomentar e instigar a cultura local com grandes eventos, exposições e oficinas, que ocorrem durante o mês de julho na região.

A reitora Cláudia Marliére agradeceu a colaboração das prefeituras e ressaltou a importância da parceria entre os governos municipais, estaduais e a Universidade Federal de Ouro Preto.

1967 a 2017 – 50 Anos do Festival de Inverno

O Grupo Residência foi ao palco apresentar um resumo sobre a história do Festival de Inverno de Ouro Preto, que foi criado em 1967 pelo grupo da Escola de Belas Artes da UFMG.

A censura e a vigilância do Estado durante a ditadura foi destacada na apresentação. A repercussão da prisão de membros companhia nova-iorquina de teatro Living Theatre, sobre a acusação de uso de drogas, no dia 2 de julho, de 1971, e as manifestações contrárias vindas de nome como Bob Dylan, Marlon Brando, John Lennon e outros  foi levado ao palco do Centro de Convenções.

A criação do Grupo Corpo, em 1975, por Rodrigo Pederneiras, após uma oficina do bailarino argentino Oscar Araiz, e o surgimento da banda instrumental Uakti, famosa por utilizar instrumentos musicais construídos pelos integrantes, em 1978, também foi retratado.

A migração do Festival de Inverno passou por diversas cidades, como Belo Horizonte, São João Del Rei, Diamantina, Poços de Caldas, entre outros locais, só voltando a antiga capital mineira, em 1993. Ano que também marcou a volta do Living Theater e de Judith Malina, um dos principais nomes da companhia a serem presos em 1971, a Ouro Preto e ao Festival de Inverno.

A cobrança de artistas locais em relação a uma presença maior da cultura e tradições ouro-pretanas no Festival, marcaram uma fase em que as manifestações eruditas e populares foram estimuladas e apresentadas durante as festividades. Algo que perdura até hoje.

O Secretário de Cultura de Minas Gerais e ex-prefeito de Ouro Preto, Angelo Oswaldo, encerrou a abertura do Festival de Inverno Ouro Preto e Mariana falando sobre a importância do cinquentenário do Festival, além de destacar a histórica qualidade da programação e a experimentação realizada pelos artistas.


10/07/2017